Pular para o conteúdo principal

Site PolicialBR

45% dos eleitores se dizem pessimistas ou muito pessimistas com a eleição presidencial de 2018

Ibope: 45% dos eleitores se dizem 'pessimistas' ou 'muito pessimistas' com a eleição presidencial de 2018.

61% disseram não ter 'nenhum interesse' ou 'pouco interesse' nas eleições deste ano. Pesquisa encomendada pela CNI ouviu 2 mil eleitores entre 21 e 24 de junho.

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (2) mostra que quase metade do eleitorado (45% dos entrevistados) se diz "pessimista" ou "muito pessimista" com a eleição deste ano para presidente da República.

De acordo com o instituto de pesquisa, o elevado pessimismo resulta em baixo interesse do eleitorado pelas eleições de outubro.

O Ibope afirma que, em geral, as mulheres estão mais pessimistas com as eleições deste ano do que os homens. Entre os eleitores do sexo feminino, 47% se declararam mais pessimistas na pesquisa. Apenas 18% das mulheres entrevistadas se disseram otimistas.

Entre os homens, informou o Ibope, 43% se dizem mais pessimistas, enquanto 28% afirmam estar otimistas.

O levantamento do Ibope, encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), foi realizado entre os dias 21 e 24 de junho e ouviu 2 mil pessoas. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Já o nível de confiança da pesquisa divulgada nesta quinta-feira, segundo o Ibope, é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos percentuais, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

Interesse pelas eleições de 2018
A pesquisa do Ibope também aponta que 38% dos eleitores afirmam que não têm "nenhum interesse" nas eleições de outubro e outros 23% "têm pouco interesse", o que soma 61% dos entrevistados. Já os que disseram ter "muito interesse" ou "interesse médio" somam 38%.

Veja matéria completa no G1 - aqui

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Aluna do campus da UEPB de Guarabira é impedida de fazer prova por estar com farda da PM

Não foram reveladas as identidades da pessoas envolvidas na polêmica. Na tarde desta terça-feira (31), uma aluna do curso de Direito da Universidade Estadual da Paraíba, em Guarabira, foi impedida de fazer uma prova por estar usando uniforme da Polícia Militar, instituição que trabalha e concilia com curso universitário. Imagens que circulam nas redes sociais mostram um oficial da PM conversando com o coordenador com curso, professor Agassiz Almeida, argumentando que precisava ouvir a professora que teria impedido a aluna fazer a prova. Não foram reveladas as identidades da pessoas envolvidas na polêmica.
Fonte Portal 25 horas

A estratégia de Bolsonaro

Por que, se o horário eleitoral é tão decisivo, ele abriu mão do tempo de TV na escolha do vice?
o escolher como vice o general Augusto Heleno, do insignificante PRP, o pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) abriu mão da negociação com o PR do mensaleiro Valdemar Costa Neto e de dois minutos díarios no horário eleitoral gratuito da TV. Sem o PR, Bolsonaro terá algo como dez segundos no bloco de 12min30.
Quem acompanha as eleições no Brasil sabe da importância do horário eleitoral gratuito. De acordo com um levantamento da consultoria Arko Advice, nas últimas sete eleições presidenciais, a corrida só encontrou seu rumo após o início da campanha televisiva.
É nesse momento que a maior parte dos eleitores costuma conhecer os candidatos e escolher seu voto para valer. A importância da TV cresce diante da atual incerteza eleitoral, maior que em todas as últimas eleições. Os votos indefinidos – aqueles que dizem votar em branco, nulo ou ninguém – chegam a 70% nas pesquisas espontâneas e passam …

Lei cria o Ministério Extraordinário da Segurança Pública

Lei 13.690/18, que cria o Ministério Extraordinário da Segurança Pública e transforma o Ministério da Justiça e Segurança Pública em Ministério da Justiça, foi publicada nesta quarta-feira (11) no Diário Oficial da União. O texto aprovado com vetos pelo presidente da República, Michel Temer, é decorrente da Medida Provisória 821/18.

É de competência do novo ministério a articulação com os órgãos dos entes federativos (Distrito Federal, estados e municípios) e as entidades de coordenação e supervisão das atividades de segurança pública. À pasta, também cabe planejar e administrar a política penitenciária nacional.

Vetos
Pelo PLV, todos os órgãos federais de policiamento ficariam sob a jurisdição do novo ministério: polícias federal, rodoviária federal e ferroviária federal. No entanto, o veto do presidente da República exclui da estrutura o departamento de Polícia Ferroviária Federal e as guardas portuárias. Também foram vetadas por Michel Temer a criação do Instituto Nacional de Estud…