Pular para o conteúdo principal

Site PolicialBR

Eleições 2018 interessa e muito para militares estaduais e federais.

Militares estaduais e federais a hora é agora!

Com a confirmação que Jair Bolsonaro vai estar no pleito eleitoral concorrendo a presidência da república os militares devem se empenhar para elegê-lo.

A hora é agora, deixar as ideologias de lado porque ideologia não paga conta em mercado e nenhuma outra.

Com salários achatados, efetivo reduzido, armamento obsoleto e sem respaldo jurídico para exercício da profissão seria suicídio político um militar não se empenhar para eleger Jair Bolsonaro e os demais candidatos aos cargos políticos como deputado estadual, deputado federal e senador vindos da caserna.

Não bastasse as questões já citadas teremos a reforma da previdência que quer a todo custo abocanhar os militares é, sem dúvida, se não suicídio político, burrice haver divergências no meio militar por questões ideológicas. Eleger Jair Bolsonaro e reeleger os militares que já vem trabalhando em prol da categoria e dentro da realidade do poder de voto dos militares fazerem novos parlamentares, desta forma fortalecerem sua representatividade política seria o obvio para quem quer melhorias salariais e melhores condições de trabalho.

O momento que atravessamos é critico e o futuro presidente da nação vai fazer toda diferença para carreira de cada um e pesar no bolso do soldado ao general.

Vote certo, vote nos candidatos militares.

Por Amílcar Landiosi Júnior
Redator site PolicialBR

Meme para WhasApp



Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Aluna do campus da UEPB de Guarabira é impedida de fazer prova por estar com farda da PM

Não foram reveladas as identidades da pessoas envolvidas na polêmica. Na tarde desta terça-feira (31), uma aluna do curso de Direito da Universidade Estadual da Paraíba, em Guarabira, foi impedida de fazer uma prova por estar usando uniforme da Polícia Militar, instituição que trabalha e concilia com curso universitário. Imagens que circulam nas redes sociais mostram um oficial da PM conversando com o coordenador com curso, professor Agassiz Almeida, argumentando que precisava ouvir a professora que teria impedido a aluna fazer a prova. Não foram reveladas as identidades da pessoas envolvidas na polêmica.
Fonte Portal 25 horas

A estratégia de Bolsonaro

Por que, se o horário eleitoral é tão decisivo, ele abriu mão do tempo de TV na escolha do vice?
o escolher como vice o general Augusto Heleno, do insignificante PRP, o pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) abriu mão da negociação com o PR do mensaleiro Valdemar Costa Neto e de dois minutos díarios no horário eleitoral gratuito da TV. Sem o PR, Bolsonaro terá algo como dez segundos no bloco de 12min30.
Quem acompanha as eleições no Brasil sabe da importância do horário eleitoral gratuito. De acordo com um levantamento da consultoria Arko Advice, nas últimas sete eleições presidenciais, a corrida só encontrou seu rumo após o início da campanha televisiva.
É nesse momento que a maior parte dos eleitores costuma conhecer os candidatos e escolher seu voto para valer. A importância da TV cresce diante da atual incerteza eleitoral, maior que em todas as últimas eleições. Os votos indefinidos – aqueles que dizem votar em branco, nulo ou ninguém – chegam a 70% nas pesquisas espontâneas e passam …

Lei cria o Ministério Extraordinário da Segurança Pública

Lei 13.690/18, que cria o Ministério Extraordinário da Segurança Pública e transforma o Ministério da Justiça e Segurança Pública em Ministério da Justiça, foi publicada nesta quarta-feira (11) no Diário Oficial da União. O texto aprovado com vetos pelo presidente da República, Michel Temer, é decorrente da Medida Provisória 821/18.

É de competência do novo ministério a articulação com os órgãos dos entes federativos (Distrito Federal, estados e municípios) e as entidades de coordenação e supervisão das atividades de segurança pública. À pasta, também cabe planejar e administrar a política penitenciária nacional.

Vetos
Pelo PLV, todos os órgãos federais de policiamento ficariam sob a jurisdição do novo ministério: polícias federal, rodoviária federal e ferroviária federal. No entanto, o veto do presidente da República exclui da estrutura o departamento de Polícia Ferroviária Federal e as guardas portuárias. Também foram vetadas por Michel Temer a criação do Instituto Nacional de Estud…